História

Breve Revisão Histórica sobre a criação da Universidade Tecnológica Nacional

Em 19 de agosto de 1948, foi aprovada a Lei 13229/48, que em seu 2º capítulo estabeleceu a criação da Universidade Nacional dos Trabalhadores, como instituição superior de ensino técnico, dependente da Comissão Nacional de Aprendizagem e Orientação Profissional.

Estudantes do ciclo superior das escolas dependentes da Comissão, ou na sua ausência das Escolas Industriais do Estado, poderiam entrar.

Em todos os casos, eles tiveram que realizar, paralelamente aos estudos universitários, uma atividade de trabalho relacionada à carreira em estudo; na época em que foi estabelecido para conceder aos graduados o título de Engenheiro de Fábrica, nas especialidades correspondentes.

Por meio do Decreto nº 3014 (promulgado em 10/07/1952), foi aprovado o Regulamento de Organização e Funcionamento da Universidade. Um ano depois, foram inaugurados os cursos das Faculdades Regionais de Buenos Aires, Córdoba, Mendoza, Rosário e Santa Fe.

Em 14 de outubro de 1959, a Lei 14.855 foi aprovada, desativando a Universidade Nacional dos Trabalhadores da referida Comissão e, a partir de então, começou a operar dentro de um regime legal e de autarquia com o nome de Universidade Tecnológica Nacional (U.T.N.).

Nossa história

A Unidade Acadêmica de La Rioja foi criada em 1986, por resolução do Conselho Superior Universitário da Reitoria, com dependência direta da Faculdade Regional de Mendoza.

Dessa maneira, estudantes locais e de províncias vizinhas tiveram a opção de cursar engenharia eletromecânica, cujo desenho curricular incluía seis anos de estudo.

Em 1993, a oferta educacional foi ampliada com a incorporação da carreira de Engenharia em Construção, com a mesma duração da anterior.

A Universidade Tecnológica Nacional tem o privilégio de ser a mais federal de todas as universidades do país, pois possui 24 faculdades regionais e 5 unidades acadêmicas..

Um exemplo dessa distribuição é a Escola Regional La Rioja, que assume esse novo status em 19 de dezembro de 2005; Quando em uma assembléia na Faculdade Regional de Avellaneda e na ocasião da eleição do Reitor da UTN (na qual o Ing. Carlos Brotto finalmente alcança um novo período de governo), a regionalização das Unidades Acadêmicas de La Rioja e A Concord, que através do voto de 352 conselheiros credenciados dos 366 existentes nas 29 faculdades regionais, aprova a transferência das casas de estudos superiores para as faculdades regionais.

Uma delegação de mais de quarenta pessoas participou desta Assembléia Histórica, incluindo estudantes, professores, não professores e diplomados de nossa Instituição, além do acompanhamento das mais altas autoridades da Escola Regional de La Rioja de hoje: Eng. Diego Di Lorenzo e Lic. Walter Flores , Dean e Vice Dean normalizadores, respectivamente..

Assim, e há 20 anos, a UTN La Rioja oferece a estudantes de nossa província e de províncias vizinhas a opção de fazer três cursos de graduação: ENGENHARIA CIVIL e ENGENHARIA ELETRÔNICA por seis anos e ENGENHARIA ELETROMECÂNICA com cinco anos de estudo..

A essa oferta educativa também devem ser adicionados os cursos de pós-graduação, cursos de especialização e estudos técnicos que são renovados ano após ano, buscando oferecer um meio de formação profissional para profissionais com perfil técnico, bem como, em um novo contexto de abertura da Universidade, aqueles que eles têm a ver com as ciências sociais.

Procurar

Topo